Carne de porco: modo de preparo, receitas e benefícios

Imagem retirada de http://www.mundoboaforma.com.br/wp-content/uploads/2015/12/carne_magra.jpg
Imagem retirada de http://www.mundoboaforma.com.br/wp-content/uploads/2015/12/carne_magra.jpg

Se você gosta de carne suína, não precisa abrir mão dela para montar o cardápio da dieta. Em geral, os cortes de carne de porco ainda são um pouco mais calóricos e gordurosos que os cortes mais magros de frango e carne bovina, mas são mais magros em comparação aos cortes de frango com pele e carne bovina com gordura.

Nesses últimos anos, a carne de porco diminuiu 31% do seu nível de gordura, 14% das calorias e 10% de seu colesterol.

Cortes da carne de porco
Ao todo, são vinte os possíveis cortes da carne de porco:

- Orelha
- Sobrepaleta
- Bisteca
- Carré
- Lombo
- Filezinho
- Suã
-  Alcatra
- Pernil
- Picanha
- Lagarto
- Coxão Mole
- Coxão duro
- Joelho
- Pé
- Patinho
- Barriga
- Costela
-  Paleta
-  Papada.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)
Receitas com carne de porco

- Lombo recheado com alho
- Lombo à francesa
- Carne de panela
- Pernil crocante com batatas
- Pernil assado
- Lagarto na panela
- Costela tambaqui grelhada.

Este tipo de carne é rica em gorduras boas (insaturadas), que fazem bem ao coração, e contém menos colesterol que a carne de vaca, sendo uma boa opção numa dieta equilibrada.
Opções de cortes magros

Alguns tipos de carne suína são bem pouco calóricos, por incrível que pareça para muita gente.

Por exemplo, a bisteca suína apresenta 164 kcal a cada 100 gramas do alimento. Já o corte bovino mais magro é o contrafilé sem gordura, que apresenta 131 kcal na mesma quantidade. Porém, a alcatra já tem muito mais energia: 234 kcal.

Por isso, vale ressaltar que a melhor forma de garantir que o corte suíno fique mais saudável à mesa são as preparações assadas, grelhadas e cozidas.

Evite as versões fritas, que aumentam o valor calórico da carne. Quando é feita com óleo, por exemplo, a bisteca de porco soma 311 kcal, um aumento considerável. E nem todos os cortes do porco são liberados. O toucinho, por exemplo, contém 593 kcal a cada 100 gramas.

Benefícios ao consumir a carne de porco
A carne de porco é fonte de proteínas e vitaminas que ativam o metabolismo e contribuem para o bom funcionamento do intestino e do organismo como um todo. Veja os benefícios:

- A carne de porco é uma das principais fontes de vitamina B1 (tiamina), que participa do metabolismo energético, melhora o apetite e o funcionamento do sistema nervoso
- A carne de porco possui niacina, assim como os outros tipos de carne, que melhoram a saúde da pele e o funcionamento do sistema digestivo
- É uma carne muito rica em potássio: 100g de carne de porco apresentam 324mg desse mineral
- Estudos mostram que a carne suína possui maior conteúdo de aminoácidos essenciais (aqueles que nosso corpo não produz), como por exemplo, leucina, lisina e valina. Estes aminoácidos podem auxiliar o organismo na manutenção do sistema imunológico
- Apresenta uma gordura menos nociva do que as outras carnes, ou seja, a sua relação em gorduras polinsaturadas e monoinsaturada (ácido gordo oleico) é benéfica, o que a faz mais saudável comparativamente à de vaca e à carne de boi
- É rica em zinco: um oligoelemento muito carente na população em geral, nomeadamente em idosos e crianças
 É rica em vitamina B12 e em ferro, sendo aconselhada às pessoas que sofrem de anemia: 100g apresenta 0.670 microgramas de vitaminas.

Modo de preparo da carne de porco
Não importa o tipo da carne, todas elas devem ser feitas preferencialmente cozidas, assadas ou grelhadas. Porém, a carne que precisa de melhor cozimento é a de porco, por isso é a carne de preparo mais complicado.

Comer carne de porco não faz mal para a saúde, desde que ela seja bem cozida, pois o cozimento adequado evita a transmissão da cisticercose, uma doença que pode atingir o sistema nervoso e causar convulsões e problemas mentais. Outro ponto importante em seu modo de preparo é que a carne suína nunca deve ser consumida mal passada pelo risco da contaminação.

Maciez da carne de porco
A maciez varia não só entre os cortes, mas também de animal para animal, mesmo que sejam da mesma espécie. Para deixar o grelhado mais suculento recomenda-se que não aperte a carne na panela, deixe selar de um lado, vire e deixe selar do outro, para que a carne não perca seu suco interior e fique macia.

É importante ressaltar que, devido à quantidade de ácido úrico que produz, a carne de porco é considerada uma carne vermelha, portanto, deve ser consumida como tal: uma porção de 100g, de duas a três vezes por semana.

O teor de colesterol da costela suína e do toucinho é maior que todos os cortes de carne bovina, sendo assim, estes cortes não seriam indicados para o consumo cotidiano.

Além disso, o seu consumo deve ser evitado pelos grupos de risco: crianças, grávidas, idosos e pessoas imunodeprimidas.

Fonte: Minha Vida

qrc:///tray_popup/win/index.html#