Se tenho pais gordinhos não conseguirei emagrecer?

Imagem retirada de https://thumbs.dreamstime.com/b/fam%C3%ADlia-gorda-do-excesso-de-peso-25746527.jpg
Imagem retirada de https://thumbs.dreamstime.com/b/fam%C3%ADlia-gorda-do-excesso-de-peso-25746527.jpg

Nossos genes controlam tudo que o corpo faz, desde o metabolismo até a respiração e a cor dos olhos e dos cabelos. Existe um gene correspondente ou um grupo de genes para cada estado interno e processo corporal. Estudos recentes vêm confirmando que os nutrientes que captamos da nossa alimentação exercem influência sobre o comportamento dos genes, e esta é uma informação poderosa.

Portanto, os nutrientes que ingerimos são cruciais para o futuro de nossa saúde. Além dos aminoácidos, nossos corpos requerem açúcares, vitaminas, minerais e gordura. Obviamente, frutas e vegetais (orgânicos, sempre que possível) vão gerar uma gama de nutrientes muito mais saudável para o nosso metabolismo do que alimentos processados.

A influência da nutrição nos genes
Em um estudo realizado com células de levedura, os pesquisadores observaram que o nível de metabolitos estava alterado. Eles descobriram que os nutrientes celulares disponíveis afetaram diretamente o comportamento genético das leveduras. De fato, nove em dez genes foram influenciados pelas mudanças na nutrição e no metabolismo interno da levedura. Este estudo nos ajuda a entender o papel da nutrição sobre os genes.

No passado, genes eram vistos estritamente como controladores do processo de transformação dos nutrientes e aminoácidos em proteínas e processos corporais. Agora é evidente que este processo funciona na direção oposta também. A presença de nutrientes existentes pode alterar o comportamento do gene, dependendo da qualidade dos nutrientes.

Resumindo, genes atuam diferentemente, dependendo da qualidade de ?suprimentos? aos quais eles tem acesso. Em alguns genes, a diferença de comportamento pode ser dramática. Os resultados do estudo falam de que modo as mudanças na produção genética de proteínas podem afetar como o corpo funciona, cresce e luta contra doenças.

Responder essa pergunta não é tão simples assim
A interação entre hereditariedade e meio ambiente (natureza e educação) é claramente mais complexa do que os cientistas sabem até hoje. Enquanto o DNA rege o metabolismo, os nutrientes presentes também influenciam o DNA e a expressão gênica. Quem somos, como nos sentimos, e nossa saúde em geral são uma combinação de genes herdados e de fatores ambientais.

Quanto ao que comer para dar aos nossos genes o melhor suprimento de nutrientes, ainda há controvérsias, mas de modo geral parece que a tendência é buscar o que vem sendo chamado de ?comida de verdade?: carnes com sua gordura natural, vegetais, frutas, nozes e similares. E evitar os carboidratos de alto índice glicêmico, como açúcar e massas.

Apesar das recentes evidências sobre a ação do que comemos sobre nossos genes, a tal dieta geneticamente personalizada ainda está nos planos do futuro. Ou seja, falta muito a ser mapeado e identificado ? quantos e quais genes e grupos de genes estariam envolvidos no processo metabólico da nutrição, sua estrutura e a forma como interagem com os nutrientes que lhes são fornecidos.

Existem dietas do DNA que estão na moda e que até podem surtir bom efeito na saúde, pois a recomendação nutricional e de hábitos de vida há de colaborar de forma saudável para o indivíduo. Mas do ponto de vista da Genômica, ainda estamos dando os primeiros passos para termos uma dieta geneticamente customizada. Existem muitos genes cuja função não conhecemos completamente e que podem inclusive interferir na expressão dos genes analisados nos testes recomendados para a elaboração desse tipo de dieta.

Ainda falta muito para compreendermos como nosso DNA e nossos genes realmente trabalham, isso ainda requer um modelo ainda maior e mais complexo. Os estudos cujos resultados mostram como genes e proteínas podem ser modificados pela nutrição contam para um pequeno número de genes, relativamente a todos os processos e requerimentos do corpo.

O recado mais importante é que existem muitos genes envolvidos no metabolismo. Cada fase de absorção e uso dos nutrientes tem centenas e até milhares de genes envolvidos. O DNA é muito mais complexo do que imaginamos.

Fonte: Minha Vida, escrita por Ciro Martinhago

qrc:///tray_popup/win/index.html#