Suplementos para emagrecer: entenda tudo sobre

Imagem retirada de https://static.tuasaude.com/media/article/aa/cd/suplementos-alimentares_20252_l.jpg
Imagem retirada de https://static.tuasaude.com/media/article/aa/cd/suplementos-alimentares_20252_l.jpg

Essas e outras questões empurram os pacientes com alguma frequência para terapias tidas como menos agressivas ou mais naturais. Dentre elas escolhemos por comentar: os suplementos alimentares que se destinam a perda de peso.

Alguns exemplos conhecidos do grande público são:
- Carnitina
- CLA
- Garcinia cambogia
- Citrus aurantium (casca da laranja amarga).

Optei por discutir com vocês estes 4 suplementos porque seria impossível tratar de todos, uma vez que existem inúmeros produtos com esta finalidade nas prateleiras das lojas especializadas.

Duas perguntas devem ser respondidas para avaliar se tais substâncias podem ser utilizadas na prática:
Estes suplementos alimentares são seguros?

Esta pergunta foi colocada em 1º lugar não à toa! Dentro da lógica que rege a medicina, a segurança é a prioridade. Sempre. Começarei citando uma frase que ficou célebre na endocrinologia após uma publicação no "Journal of Hepatology" em 2007 pelo autor Alain M. Schoepfer na qual são descritos 10 casos de lesão hepática grave após uso de substâncias tidas como naturais. No título deste artigo o autor usa uma máxima que pode nos ajudar a entender o ponto que desejo transmitir aqui: ?natural não significa inócuo?. Ou seja, não é porque um medicamento é um fitoterápico que ele pode ser considerado inócuo ou livre de efeitos colaterais.

Deve-se sempre comprovar a segurança de qualquer droga. Isso parece se encaixar perfeitamente bem para 3 dos 4 suplementos citados: a Garcinia Cambogia, o CLA (ácido linoleico conjugado) e o Citrus Aurantium. Todos eles apresentam mecanismos de ação interessantes quando se pensa em perda de peso, no entanto, não sobrevivem a uma análise da literatura médica mais aprofundada no quesito segurança. Há relatos de caso de efeitos colaterais psiquiátricos graves, bem como lesão hepática grave. Outros efeitos colaterais possíveis são:

- Piora do perfil lipídico (colesterol), no caso do CLA
- Risco de surgimento de câncer (efeito este descrito apenas em animais por enquanto), também no caso de CLA
- Problemas cardíacos graves, especialmente para o Citrus Aurantium.

Sendo assim, não devem ser usados para fins de perda de peso. Muito menos sem a supervisão médica.

Além disso, faltam estudos de grande porte bem feitos do ponto de vista técnico que respaldem seu uso hoje. Vale lembrar que eu esta é apenas a minha leitura do cenário científico atual referente aos suplementos citados. Não me considero o dono da verdade e contra-pontos e discordâncias são sempre bem-vindas.

Voltando ao assunto: quanto a L-carnitina, eu diria que se trata de uma substância segura. No entanto desencorajo seu uso por conta do aspecto ?eficácia?. Vejam a seguir:
Os suplementos em questão promovem perda de peso de forma consistente?

Certamente não. Todos os quatro suplementos alimentares citados induzem perda de peso apenas discreta e que não se repete em todos os estudos clínicos. É curioso observar que todas as substâncias citadas apresentam um mecanismo de ação encorajador. Ou seja, parece fazer todo o sentido usá-los pensando em perda de peso. No entanto quando testamos em seres humanos, não se consegue uma perda de peso importante. Veja abaixo os exemplos:

1) L-carnitina:
Mecanismo de ação: enzima que transporta os ácidos graxos (gorduras) para dentro da mitocôndria (local da célula onde as gorduras são ?queimadas? no nosso corpo).

Perda de peso obtida: sem significância estatística.

2) CLA:
Mecanismo de ação: aumenta a atividade da enzima responsável por produzir calor (UCP-1) e da carnitina (entre outros mecanismos de ação)

Perda de peso: inconsistente nos estudos

Sendo assim, infelizmente não trago boas notícias quando a pergunta é ?Doutor: qual suplemento alimentar posso usar para me ajudar a perder peso??. A resposta, na humilde opinião deste colunista, é: ?Até o momento: nenhum!?. Os riscos superam os benefícios. Perde-se pouco peso ou nenhum e há eventos adversos graves que podem acontecer. De qualquer forma me manteri antenado pois a medicina é a ?ciência das verdades transitórias? e, sendo assim, novos estudos mostrando dados diferentes dos que foram expostos aqui podem vir a ser publicados. O que temos pra hoje no entanto é suar a camisa e uma boa dieta. Bons treinos!

Fonte: Minha Vida, escrita por Roberto Luís Zagury

qrc:///tray_popup/win/index.html#